Logo do Radar industrial

FAÇA SUA BUSCA NO MAIOR BUSCADOR INDUSTRIAL DO BRASIL
 

Bem-Vindo ao Radar Industrial.
Verificamos que esse é seu primeiro acesso. Leia antes de usar:

Este é um portal de busca de produtos e serviços industriais.

NOTA: Todos os produtos dispostos no portal pertencem aos seus respectivos fabricantes, representantes e distribuidores. O Radar Industrial e a Editora Banas não vendem os produtos e serviços publicados neste site.

Saiba mais acessando a página "Sobre o Radar"

Procura um produto específico? Digite o nome do produto/serviço nos campos acima e veja uma lista de empresas fabricantes. Para acessar o contato da empresa é preciso ser cadastrado.

Faça seu cadastro gratuitamente aqui!

Busca alguma empresa ou fabricante? Clique em "Empresas", faça uma rápida procura e encontre fabricantes e representantes desejados.

Tamanho das letras

Indústria - 21/08/2020

Indústria do Amazonas apresenta proposta de desenvolvimento sustentável

Em meio a dois dos mais aquecidos debates que ocupam o cenário político e econômico do país, meio ambiente e reforma tributária, as indústrias do Polo Industrial do Amazonas recebem nesta segunda-feira (24/08) o Vice-Presidente da República e Presidente do Conselho do Amazonas, General Hamilton Mourão para construção de uma agenda junto ao Governo Federal focada no desenvolvimento sustentável da Amazônia.

No encontro, liderado pelo vice-presidente da CNI e presidente da Federação das Indústrias do Amazonas (FIEAM), Antônio Silva, será entregue um documento contendo uma proposta sobre o tema, assinado conjuntamente pela Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), Associação dos Fabricantes de Motocicletas e Bicicletas (Abraciclo) e Centro da Industria do Estado do Amazonas (CIEAM).

O documento defende a diversificação produtiva da região e da bioeconomia a partir dos recursos gerados pela Zona Franca de Manaus. O argumento se constitui com base na matriz econômica do Estado do Amazonas que, por ser industrial, vem garantido a preservação de 95% de sua cobertura natural formada pela floresta amazônica.

“É inconcebível se pensar em desenvolvimento sustentável no Estado do Amazonas sem a manutenção de uma Zona Franca de Manaus fortalecida. Ela proporciona a geração de mais de 500 mil empregos, responde por 80% da arrecadação do estado e contribui, ainda com18,7% do PIB brasileiro”, afirma o vice-presidente da CNI e presidente da Fieam, Antônio Silva.

Levantamento preparado pelas entidades demonstra que o estado do Amazonas é o quinto maior em arrecadação no país ficando atrás apenas do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Espírito Santo. O Amazonas é superavitário, onde arrecada mais impostos federais do que recebe de repasses obrigatórios. “Nos reuniremos com o Governo Federal para tratarmos deste tema que é do interesse de todos os brasileiros, mas que deve ser protagonizado por quem vive na floresta amazônica, por quem investe e gera riquezas no estado do Amazonas”, complementa Silva.

Assistimos com preocupação críticas equivocadas ao programa Zona Franca de Manaus justamente neste momento em que o mundo questiona os direcionamentos da política ambiental brasileira. Ocorre que temos nas indústrias do Polo Industrial da Zona Franca de Manaus geração de emprego e renda, mão de obra empregada qualificada, parque fabril instalado com alta tecnologia, centenas de milhões de reais em investimentos em P&D e tudo isso perfeitamente em harmonia com a preservação da floresta mais importante do planeta”, aponta o presidente da Eletros, Jorge Nascimento.

A proposta formulada pela indústria do Amazonas prevê o fortalecimento da economia regional e, para isso, se faz imprescindível investimentos em infraestrutura. As industrias destacam melhorias no modal rodoviário (BR 319), modernização do transporte fluvial de cargas e passageiros, melhoraria de navegabilidade das hidrovias dos Rios Madeira, Solimões e Negro, transporte aeroviário com aeroportos municipais e malha viária com frequência de voos, além de investimentos em telecomunicações, melhoria do sistema portuário, portos no interior do estado e a implementação de um zoneamento ecológico-econômico. “ Nosso país já possui uma política de desenvolvimento regional exemplar que preserva a floresta amazônica e que pode sustentar a diversificação da economia da região com a exploração do seu potencial bioeconômico. Ao invés de discutir uma nova política, devemos melhorá-la criando condições para chegada de novas empresas, incluindo de segmentos ligados à sustentabilidade”, conclui o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian.

No documento que será entregue ao vice-presidente Hamilton Mourão, as indústrias propõem um novo modelo de governança para a ZFM que contemple algumas diretrizes fundamentais, entre elas manter as suas vantagens comparativas para garantia de investimentos locais e manutenção dos empregos, otimização dos recursos gerados pelo Polo Industrial de Manaus, o estabelecimento de novas metas para novos investimentos na promoção do empreendedorismo amazônico sustentável e no aumento de investimentos em P&D.

fabio.pimentel@vitalagencia.com

Mais Eventos

Mais Eventos

Notícias

publicidade